Protetor solar – importância e como escolher

Por Farmácia Garrido
dezembro 4, 2020

No mês de dezembro ganha destaque a campanha do dezembro laranja, voltado à prevenção do câncer de pele. É claro que ser cauteloso em relação ao sol é importante sempre, mas no verão, com os raios solares mais intensos e a maior frequência de atividades ao ar livre, os cuidados devem ser redobrados. E claro, além de evitar a exposição em excesso, uma das melhores forma de se proteger é utilizando um filtro solar de qualidade. Ainda existem muitas dúvidas sobre o assunto – qual escolher, como e quando usar, quando reaplicar, etc. Vamos esclarecer essas questões aqui para você. Confira!

A proteção solar

Nos últimos 30 anos, as campanhas voltadas à importância do uso de protetor / filtro solar cresceram muito, reforçando o seu papel na prevenção de queimaduras, manchas, fotoenvelhecimento e câncer de pele, sendo recomendado pelos dermatologistas.

A radiação UV é dividida em dois tipos – UVA e UVB. A radiação UVA varia pouco ao longo do dia e penetra mais profundamente na pele, podendo provocar câncer de pele e estimular o fotoenvelhecimento. Já a radiação UVB é mais intensa no verão, e pode provocar alterações superficiais como queimaduras e vermelhidão.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a maioria dos casos de câncer de pele estão relacionados à exposição ao sol, e é por isso que além de usar um bom filtro solar, medidas como tentar ficar na sombra quando estiver ao ar livre, cobrir as áreas expostas e usar óculos de sol, são muito bem-vindas.

A escolha do filtro solar

Para a escolha de um bom filtro solar é primordial verificar qual é o seu FPS (Fator de Proteção Solar), o qual protege contra os raios UVB, e também o valor de PPD, que mede a proteção contra a radiação UVA. Uma pessoa que não aplica protetor solar está desprotegida, enquanto uma pessoa que aplica um filtro de FPS 30 (valor mínimo necessário), está até 30 vezes mais protegida contra queimaduras, por exemplo. Já a proteção contra os raios UVA ainda não possui um número consensual. Na hora de escolher, o mais importante é verificar o que o produto anuncia no rótulo em relação à proteção UVA e UVB (verificar se possui amplo espectro de proteção), e sempre priorizar produtos de qualidade.  Normalmente o FPS é destacado em letras maiores, e a proteção UVA em letras menores.

Bom, depois de avaliar esses pontos, verifique se ele é à prova d´água, e claro, se é adequado para o seu tipo de pele. Atualmente existem opções em gel, creme, loção, entre outros. Algumas formulações podem sair com facilidade na hora da prática de atividades físicas, por isso é importante também o produto ser adequado ao seu estilo de vida.

Filtro solar físico ou químico

O filtro solar físico se deposita na camada mais superficial da pele e reflete as radiações incidentes. Antigamente eles tinham aceitação baixa, por serem esbranquiçados. Mas esse efeito atualmente é minimizado com tons de base, tornando-se um produto bem funcional – além de promover a proteção física, ainda ajuda a disfarçar as imperfeições. O filtro solar químico funciona como uma “esponja”, transformando os raios ultravioletas em calor e radiação de baixa energia. Converse com o seu dermatologista para entender qual é o mais indicado para você.

Aplicação

Especialistas indicam que o filtro deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição solar, em todas as áreas do corpo, principalmente as expostas, e a reaplicação deve ocorrer em média a cada 2 horas, ou de acordo com a orientação no rótulo do produto e do seu dermatologista. Quando entrar na água ou realizar atividades físicas que causem sudorese intensa, a reaplicação deve ocorrer logo em seguida.

Ao aplicar, pense que a quantia tem que ser adequada para cobrir toda a pele, de forma generosa. Aplicar inadequadamente pode reduzir substancialmente a proteção, e ainda deixar marcas, por isso, gaste um tempinho nessa aplicação.

Ah, importante! Mesmo que o dia esteja nublado ou chuvoso, e você não veja os raios solares, estudos apontam que 80% deles conseguem ultrapassar as nuvens e atingir a pele. Portanto, não deixe de aplicar o filtro!

Pessoas de todas as idades e tonalidades de pele devem usar protetor solar.

Fotoproteção oral

Atualmente existem formulações que reforçam a proteção de dentro para fora, apesar de não dispensarem o uso do filtro tópico. Esse aliado normalmente é indicado para pessoas suscetíveis ao desenvolvimento de câncer de pele, melasma e vitiligo, e o médico dermatologista é o profissional que poderá indicar essa alternativa.

Fontes Consultadas: Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) | Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).