Melasma – o que é e como tratar

Por Farmácia Garrido
janeiro 11, 2021

O Melasma é um problema mais incidente no público feminino, caracterizado por manchas escurecidas, principalmente na face, e que geram grande incômodo estético. Mas o que provoca? Tem cura? Quais são as opções de tratamento? Esclarecemos essas dúvidas para você neste artigo!

Afinal, qualquer mancha é Melasma?

Não. O Melasma, em específico, é caracterizado por uma produção aumentada de melanina (substância responsável pela coloração da pele), o que provoca o surgimento de manchas principalmente no rosto, mas também colo, braços e pescoço. Ainda não há uma única causa definida para o problema, mas já se sabe que ele está relacionado à propensão genética, fatores hormonais como mudanças que ocorrem na gravidez ou durante o uso de contraceptivos, e é desencadeado pela luz solar, com participação da luz artificial emitida por lâmpadas e aparelhos. As manchas possuem tonalidade marrom, formas indefinidas e são benignas.

Existem outros tipos de manchas que podem surgir na pele, e sozinho com certeza será difícil identificar se trata-se de Melasma realmente, ou não. Por isso, ao identificar qualquer alteração na pele, o mais indicado é procurar o seu dermatologista de confiança para um diagnóstico adequado e preciso. Existem técnicas hoje em dia, que juntamente com o histórico do paciente, contribuem para um diagnóstico bem rápido.

Tem cura?

Essa é uma questão muito comum. Com certeza já aconteceu com você ou alguém próximo, de passar por um tratamento para o clareamento das manchas, e elas voltarem. Isso acontece porque apesar dos avanços da ciência, ainda não é possível se falar em cura. O Melasma é um problema crônico e recidivante, ou seja, mesmo que após um tratamento as manchas fiquem bem mais claras, elas podem voltar, principalmente se houver negligência em relação ao sol. A proteção solar é importante para todas as pessoas, mas quando houver propensão ou o diagnóstico de Melasma, a cautela deve ser bem maior.

Portanto, apesar de não ter cura, as manchas podem sim ser controladas a partir de um tratamento específico e manutenção com o uso diário de um filtro solar de qualidade, durante o ano todo, mesmo dentro do escritório ou dias nublados. É recomendável um produto com amplo espectro de proteção contra os raios UVA e UVB, e com cor, já que o pigmento funciona como um bom escudo para evitar as alterações provocadas pela luz visível. Os fotoprotetores orais também podem auxiliar nessa missão, reforçando a prevenção.

Aproveite e confira a seguir algumas opções de tratamentos disponíveis atualmente!

Procedimentos clínicos

Procedimentos como peeling, laser e luz pulsada podem ser grandes aliados no clareamento das manchas, contribuindo para uma melhor aparência da pele. Como são procedimentos que renovam o tecido cutâneo e podem provocar irritação, não é aconselhável realizá-los durante as estações mais quentes. Para isso, aguarde o outono ou inverno. Além desse cuidado, escolha uma clínica que conte com profissionais capacitados. Pesquise bastante antes de decidir o local, garantindo um tratamento que realmente irá ajudar a reduzir o problema, e não o tornar pior.

Fórmulas orais

Diversos avanços são observados em relação ao tratamento e controle do Melasma, e alguns ativos podem ser recomendados para o clareamento das manchas de dentro para fora, contando com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Entre eles o Picnogenol, Polypodium Leucotomos e o extrato da oliva.

Cremes de aplicação tópica

Os dermocosméticos também são bons aliados na redução da hiperpigmentação, e normalmente são receitados em associação a outros tratamentos. De um modo geral, os ativos tópicos atuam na inibição da enzima tirosinase, a qual é fundamental para que ocorra a produção de melanina. Alguns mais avançados, agem antes, durante e depois da formação de melanina, ajudando no clareamento e na prevenção de novas manchas.

Os tratamentos mencionados podem ajudar bastante na uniformização do tom da pele, mas os resultados variam em cada pessoa. O ideal é sempre contar com a orientação e acompanhamento profissional, assim os métodos podem ser combinados e ajustados quando necessário.

Fontes Consultadas: Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) | Veja Saúde.