Intestino – importância e sintomas que merecem atenção

Por Farmácia Garrido
fevereiro 15, 2021

O intestino é um órgão que exerce importância fundamental na manutenção da saúde de um modo geral. Além da absorção de água e nutrientes, estudos apontam que 70% das células do sistema imunológico vivem no intestino, demonstrando a sua relevância nas respostas de defesa do organismo contra patógenos. Além disso, já ouviu falar que esse órgão pode ser considerado nosso segundo cérebro? Essa “fama” ocorre porque no intestino também há neurônios, incluindo os que produzem neurotransmissores ligados ao humor e sensação de bem-estar, como a serotonina. Cada vez mais, os estudos avançam mostrando a sua relação com o estado de ânimo e com a saúde mental.

Intestino delgado e grosso

O intestino delgado é a parte mais comprida do intestino (com cerca de 7 metros), onde ocorre a absorção principalmente de nutrientes, e uma menor absorção de água. Já o intestino grosso é a segunda porção desse órgão, apresentando cerca de 2 metros de comprimento, e é onde mais de 60% da água é absorvida.

A primeira porção e a segunda (delgado e grosso) estão interligadas desde o estômago até o ânus, e são indispensáveis para que o corpo se mantenha nutrido, hidratado e em pleno funcionamento.

Para que essas funções ocorram da forma adequada, ao longo do intestino há um conjunto de bactérias, o qual é chamado de microbiota ou flora intestinal. As bactérias boas são importantes para o funcionamento do intestino, mas há também bactérias ruins / patogênicas, que devem ser inibidas. Quando há um descontrole dessas bactérias, levando ao aumento das ruins e redução das benéficas, ocorre o que é chamado de disbiose intestinal, condição que pode favorecer o surgimento de outros desequilíbrios, quando não tratada adequadamente.

Principais sintomas que apontam problemas no intestino

Azia, vômitos, dores abdominais, sensação de estufamento, barriga inchada, cólicas, diarreia ou intestino preso, flatulência, escape de fezes, presença de sangue nas fezes e até mesmo uma perda significativa e inesperada de peso, são alguns sinais de que o seu intestino precisa de atenção. Especialistas apontam ainda, que mudanças na cor, consistência ou cheiro das fezes, que dure mais de uma semana, também podem indicar problemas intestinais e merecem a devida investigação.

O médico mais indicado para avaliar o quadro e oferecer o diagnóstico adequado é o gastroenterologista, o qual é especializado em todo o trato gastrointestinal.

As doenças do intestino mais recorrentes são – infecções intestinais, relativamente comuns e provocadas pelo aumento de bactérias patogênicas; Diverticulite, frequente em pessoas com mais de 60 anos, e caracterizada por pequenos sacos que se formam na parede do intestino grosso; a Doença Celíaca, na qual o intestino não possui a capacidade de digerir o glúten presente na alimentação; a Doença de Crohn, caracterizada por uma inflamação intensa; e Intestino Irritável, condição que intercala períodos de diarreia e prisão de ventre. O câncer colorretal é considerado de grande incidência em homens e mulheres, mas com chances reais de cura, quando diagnosticado e tratado logo no início.

A constipação intestinal, em que a evacuação ocorre menos de três vezes por semana, é também muito comum, e pode ser definida como uma alteração no funcionamento normal do intestino, frequentemente associada à desidratação, baixa ingestão de fibras, sedentarismo e até mesmo efeitos colaterais de determinados medicamentos. Muitas vezes, não é causada por doenças subjacentes. 

Hábitos que ajudam na prevenção

Um bom funcionamento intestinal está intimamente ligado à alimentação, e também ao estilo de vida. Invista em alimentos naturais, ricos em proteínas, carboidratos complexos, gorduras boas e claro, fibras solúveis e insolúveis, as quais são encontradas nas frutas, vegetais e cereais (como a aveia). A hidratação, sobretudo com água, também é essencial – beba cerca de 2 litros de água ao dia, ou mais.

Incluir alimentos probióticos e suplementações que favoreçam o aumento de microrganismos do bem, também são ótimas estratégias para a manutenção saudável do intestino.

Além da alimentação, a prática regular de atividades físicas é outra grande aliada do trânsito e funcionamento intestinal, ajudando a prevenir até mesmo o desenvolvimento do câncer colorretal.

Fontes consultadas:  Portal Coloproctologia | Tua Saúde | Hospital Novo